quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

REPORTAGEM ESPECIAL - Abandono e solidão. Companhias da maioria dos idosos do nosso país.

Artigo terceiro do estatuto do idoso, Lei n.º 10.741, de 1.º de outubro de 2003, diz  que, é obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

Atenção, carinho, cuidados e respeito. Tudo isso deveria ser oferecido a aqueles que chegaram à terceira idade, mas cada vez mais estes valores têm sido ignorados e como companhias, muitos idosos têm tido o abandono e a solidão.

Seu Geraldo Sabino, de 72 anos, sabe muito bem o que é isso.

Pai de nove filhos, seu Geraldo foi levado nesta quarta-feira (11) para o abrigo bom pastor, em Belém-PB. A decisão partiu do ministério público, comarca de Araruna, após receber a denúncia e encontrar o aposentado abandonado na localidade de Bilinguim, município de  Tacima-PB. 

Seu Geraldo disse que morava com uma filha em Natal, mas resolveu vir para o bilinguim, onde há quase um ano vivia na casa de um amigo.

Sem uma alimentação adequada e bebendo diariamente, o aposentado já chegou a desmaiar várias vezes, soma-se a falta de higiene. 

Casos como este são comuns na nossa região. Homens e mulheres que ajudaram a construir histórias são esquecidos e abandonados pela família e pelo próprio estado.  

A promotora de justiça da comarca de Araruna, Dr. Ana Maria Pordeus Gadelha que, faz um brilhante trabalho no combate aos maus tratos a idosos, conversou com nossa reportagem e destacou a importância do combate a estas práticas.
 
“Eu atuo em defesa do idoso há cerca de 16 anos. As políticas públicas voltadas para o idoso deixa  muito a  desejar. Se  restringem a  um centro de idosos com atividades  bobas que  não têm uma política efetiva que se volte ao cuidado e atenção plena ao idoso.”. Destacou Dr. Ana.

A promotora aproveitou para orientar a sociedade que, ao ter conhecimento de algum tipo de maus tratos ao idoso, deve denunciar de imediato ao ministério público.

Outro ponto importante a ser destacado é o fator psicológico do idoso. Para isso nossa reportagem foi ouvir a psicóloga, Dr. Ana Paula.

“Você passar uma vida inteira trabalhando, com respeito, dignidade e d e repente quando você chega à terceira idade passa a ser rejeitado pela própria família. O que o idoso mais precisa é de atenção e de carinho. Em muitos casos a própria família abandona o idoso sem lembrar que foi aquele que dedicou a vida toda aos filhos. O idoso tem sentimento, tem coração, e por isso é importante o afeto.” Comentou Dr. Ana Paula.

Denunciar abuso, violência e abandono ao idoso deve ser dever de todos nós. Combater os maus tratos a quem tanto contribuiu nesta vida precisa ser tarefa de todos nós.

Ao notar qualquer violência contra um idoso procure o conselho do idoso de sua cidade ou acione diretamente o ministério público.

Por Júnior Campos
Postar um comentário