segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Reportagem do Nordeste1 denúncia práticas irregulares nas nossas rodovias.

Fiquei muito feliz ao ver uma reportagem feita com inteligência que interessa diretamente àqueles que trafegam pelas rodovias da nossa região. 

Competente como é, o jornalista Tony Sousa, fez uma reportagem especial direcionada as problemáticas das nosas rodovias.

VEJA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA 



As rodovias que cortam o estado da Paraíba, principalmente na região do brejo, se encontram em estado de calamidade. Motoristas usam espaços oferecidos nos meios de comunicação para cobrar soluções das autoridades competentes e clamam por medidas que possam oferecer segurança e melhores condições de trafegabilidade.

Trechos esburacados, sem sinalização e sem acostamento são apenas algumas das dificuldades dos motoristas que usam as diversas rodovias paraibanas.

PB-089 é uma rodovia do estado da Paraíba que liga os municípios de Belém/PB, Caiçara/PB, Logradouro/PB e Nova Cruz/RN. Foi denominada pelo Departamento de Estradas e Rodagens da Paraíba (DER) de rodovia estadual Maestro Joaquim Pereira de Oliveira.

O Nordeste1 escolheu a rodovia no brejo para denunciar outra problemática, esta, cada vez mais visível e preocupante. A PB 089 é a prova do perigo e do descumprimento da lei, fato que acontece em outras rodovias do estado.
Em quilômetros distintos da PB 089 propriedades rurais, literalmente, estão invadindo o espaço que deveria ser utilizado como acostamento em caso de necessidade dos motoristas. A dita invasão é tão absurda que as poucas placas de sinalização existentes na rodovia foram tragadas pelas fazendas e sítios que para aumentar suas terras desrespeitam os limites e oferecem perigo a quem trafega pela estrada.

Num determinado ponto, para não ter o trabalho de remover o instrumento de sinalização, o proprietário fez uma abertura e passou o arame pela placa deixando-a dividida entre a rodovia e a propriedade.

O Nordeste1 entrou em contato com o órgão competente para fiscalização, porém a ligação para o DER-PB passou para quatro setores diferentes até cair, antes, porém, fomos informados que o Diretor Hélio Cunha Lima estava em fiscalização de campo. Em contato com o Detran/Guarabira  confirmamos que a distância mínima para a fixação das cercas nas estradas estaduais deve ser de mínimo 15 metros e que apenas o Diretor DER poderia dá explicações quanto algum tipo de ação contra a prática irregular dos proprietários rurais. Na rodovia citada há trechos que o local que deveria servir de estacionamento tem pouco mais de um metro entre o asfalto e as cercas.

Um outro problema implícito na falta de espaço entre rodovia e propriedades rurais é verificado quando acontece algum acidente. Bombeiros e autoridades de segurança sentem dificuldades em organizar o tráfego, visto que, não há possibilidade de tirar da pista supostos veículos envolvidos.

Para comprovar que o caso não é isolado, o Nordeste1 registrou na PB 075 outro exemplo no qual a placa de sinalização em um trevo importante que dá acesso a cidade de Sertãozinho, via Pirpirituba ou Belém, foi absorvida também por uma propriedade rural.
A reportagem não poderia ser finalizada sem os seguintes questionamentos: Tal realidade se trata de falta de fiscalização, desrespeito a lei, ousadia dos donos das propriedades, vista grossa do governo, falta de respeito aos usuários das rodovias... ou tudo isso junto?
 Para onde vai o dinheiro das multas, fiscalizações, emplacamentos e impostos?
Com a palavra o DER-PB!


Com Tony Souza/Nordeste1
Postar um comentário