terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Jornal da 99/2ª Edição em Espírito Santo-RN. Falta de água e esgoto a céu aberto; são os principais problemas.

Município de aproximadamente 10.500 habitantes, localizado há cerca 76 km de Natal, na região do agreste potiguar; Espírito Santo é mais um dos pequenos municípios brasileiro que sofre com alguns problemas administrativos. Mau distribuição de renda, falta de oportunidade de trabalho no município e o problema do saneamento básico, são algumas das problemáticas encontradas em Espírito Santo-RN.

De início encontramos um problema que afeta todos os moradores da cidade. A constante falta de água tem gerado transtorno a população urbana que em muitos casos precisa ir à quilômetros de distância para poder lavar roupas. A CAERN, através do gerente local, explicou que o problema é resultado de um aumento do consumo do líquido precioso na época de verão. Disse ainda que há uma boa expectativa para que problemas como a falta  de água possam ser resolvidos  ainda este ano.

A falta de saneamento básico na cidade é o outro grande problema. Esgoto a céu aberto por todos os lados oferece risco de moradores contraírem doenças a todo instante. Crianças vivem de forma natural nestes ambientes. 

O esgotamento sanitário adequado é importante tanto para a comunidade quanto para o meio ambiente, além de ajudar na prevenção de doenças causadas pela água contaminada, como cólera, dengue, hepatite e leptospirose.

Fui até a prefeitura tentar uma conversa com a gestora do município, Daize Florencio, e com alguns secretários, mas ninguém foi encontrado. Fui informado que todos tinham saído. Ainda tentei o contato telefônico de algum secretário, porém, mais uma vez não foi possível.

“A população brasileira produz, em média, 8,4 bilhões de litros de esgoto por dia. Desse total, 5,4 bilhões não recebem nenhum tratamento, ou seja, apenas 36% do esgoto gerado nas cidades do país é tratado. O restante é despejado sem nenhum cuidado no meio ambiente, contaminando solo, rios, mananciais e praias do país inteiro, sem contar nos danos diretos que esse tipo de prática causa à saúde da população.”  (Planeta  sustentável)

Veja imagens de uma Rua no Bairro São Francisco.




 


 


Por Júnior Campos
Postar um comentário