segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

BANANEIRAS-PB. Após cinco horas de negociações, Polícia Militar consegue prender homem acusado de tentativa de homicídio

 Tudo começou quando na manhã desta segunda-feira (28) Ednaldo Costa de Lima, de aproximadamente 25 anos de idade, residente no sítio Cumatí, zona rural de Bananeiras, foi ferido por um golpe de foice em uma das mãos. Feita a denúncia na Delegacia de Polícia Civil do município, o Delegado Dr. Diógenes, solicitou uma guarnição da Policia Militar para ir até a localidade e conduzir o acusado, identificado como Luiz Borges da Silva, de 44 anos, á delegacia para os procedimentos de estilo.

O Cabo PM Wagner relatou que ao chegar à residência do acusado foi surpreendido com a reação do acusado que se negou a acompanhar a polícia. Violento e armado com uma foice, o homem teria tentado enfrentar a polícia. “Efetuei um disparo para o alto na tentativa de intimidá-lo, mas ele ficou mais agressivo ainda e tentou vir para cima. Decidi por recuar e pedir apoio.” Contou o Militar. 

Uma guarnição da Rádio Patrulha, sob o comando do Sargento Matos, veio para o local, mas não adiantou. O acusado se fechou em um dos quartos da residência e disse que não se entregaria, preferia ser morto. Uma equipe do BOPE, sob o comando do Sargento PM Jonathan, foi para o local e deu início as negociações. Sem acordo e com o avanço da hora, o Sub-comandante do 4º BPM-PB , Major Givaldo, se deslocou para a localidade e deu continuidade nas negociações, com o objetivo de fazer com que o acusado largasse a foice e se entregasse a polícia.

Já passavam de três horas de negociações quando uma equipe do Corpo de Bombeiros se deslocou para o local para ajudar nas negociações e prestar atendimento à vítima; se necessário.  Pouco tempo depois o comandante do Batalhão, Ten. Cel. Valério, se juntou aos mais de trinta policiais que foram para o local e deu seguimento as negociações. Preocupados com o estado de saúde do acusado a polícia acionou uma equipe do SAMU, que ficou de prontidão para agir nos primeiros atendimentos á vítima.  

Depois de mais de cinco horas de conversa e negociações, o comandante do Batalhão resolveu invadir a casa e prender o acusado. Para realizar a ação, a polícia derrubou parte da parede onde o homem se abrigava e com tiros de bala de borracha e de taser, conseguiram imobilizar o acusado e realizar sua prisão.

Uma irmã do acusado relatou que seu irmão passava por problemas mentais e que, por isso, a esposa dele o teria deixado.  

O home foi atendido no local por uma equipe do SAMU e conduzido em seguida para um hospital da região.  O acusado deve ser  ouvido pela Polícia Civil.


RESISTÊNCIA

Sem saber explicar; a polícia contou que no primeiro contato com o acusado, foram efetuados disparos com a taser e com balas de Borracha, mas o homem resistiu a todas as investidas. Granadas de gás lacrimogênio também foram lançadas no interior da residência, mas não surtiram efeito no homem que, só foi preso, porque a polícia usou a força. 

Por Júnior Campos
Postar um comentário