segunda-feira, 14 de novembro de 2011

IMAGENS SANGRENTAS - Homem é morto por vários disparos de arma de fogo em Jacaraú-PB.

Este é o segundo homicídio em nove dias na cidade de Jacaraú-PB. 


O  crime aconteceu na tarde desta segunda-feira (14) .

O Técnico em refrigeração, Lucenildo de Araújo, 36 anos de idade, residente na Rua Políbio Pereira, em Jacaraú, estava passando pela Rua Sebastião Ferreira da Silva quando, resolveu pedir água na residência da senhora Roselina Fernandes  de Oliveira de 39 anos. 


De acordo com o  relato da dona da  residência, foi nesse momento que três homens em uma moto se aproximaram da vítima e sacaram as armas.  Geladeira, como era conhecida a vítima, tentou correr entrando na casa da senhora Roselina. O homem foi alcançado pelos acusados e alvejado por vários disparos de arma de fogo, caindo em um dos quartos da pequena residência. O técnico em refrigeração não resistiu aos disparos e morreu no local. O corpo ficou cravado de balas.


Dona da casa
A senhora Roselina disse em entrevista que não tinha contatos com a vítima.  Acrescentou que por coincidência ele parou para beber água em sua casa na tarde desta segunda. Confessou ainda que ao notar a presença dos acusados saiu correndo para  pedir socorro e não reconheceu nenhum  dos criminosos. A mulher apresentava sintomas de embriaguês que, para a polícia é fato comum. “A senhora tem o hábito de beber com amigos.” Denunciou um vizinho que não quis se identificar.


Possivelmente os disparos que atingiram geladeira partiram de uma pistola 380.


Lucenildo é conhecido dos policiais, o Cabo da PM, CB Carneiro, disse que ele é suspeito de práticas criminosas na cidade.  “Roubos e furtos já foram realizados por Geladeira aqui em Jacaraú.” Afirmou o militar que, confirmou ainda que  a  vítima  era envolvida com  drogas. 
  

Dr. Ricardo Sena, delegado plantonista na central de polícia em Guarabira-PB foi ao local e conversou com a  dona da residência. Para ele, o depoimento da testemunha será fundamental para a elucidação do caso.  “Vamos ouvir com calma o que a testemunha tem a dizer. Certamente ela terá algo mais preciso para relatar”. Contou o delegado.   

Para Dr. Ricardo Sena,  a  cena  caracteriza execução (acerto de  contas).


No caso anterior, onde um irmão matou o outro, a polícia espera ser expedido um mandado de prisão da justiça para chegar ao acusado e efetuar a prisão do homicida.   

(foto:  @juniorcampospb)


Por Júnior Campos             
Postar um comentário