quinta-feira, 26 de maio de 2011

Motin e rebelião no Presídio Regional de Guarabira durou quase 11 horas


A confusão começou por volta das 20h00 desta quarta-feira (25) quando um agente penitenciário foi chamado para levar um apenado para o hospital. De acordo com as informações, um outro apenado teria alertado o agente penitenciário que tudo se trataria de uma silada. O objeivo seria render o agente e com isso, chegar a outra cela, onde estaria participantes de uma facção rival. A partir deste momento o motin, seguido de uma rebelião, teve início.

Muros foram quebrados e colchões foram queimados. Temendo um massacre, cerca de 28 apenados que, estariam marcados para morrer, foram transferidos para o Presídio João Bosco Carneiro, em Guarabira-PB.

O corpo de bombeiros foi acionado para conter o fogo e a polícia chegou ao local para tentar negociações, sem sucesso. O Pe. Adalto e o Pe. Bosco, membros da Pastoral Carcerária também estiveram para o local. As negociações duraram a noite toda e só agora por volta das 06h30 é que a rebelião foi contida.

Durante uma inspeção nas celas, foram encontradas 12 facas do tipo peixeira e uma lista contendo nomes de 30 presos que estariam 'marcados para morrer'.



O motivo do protesto seria a superlotação, que já havia sido comunicada pela direção ao juiz Bruno César Azevedo Isidro, da vara de Execuções Penais.

Não há informações de feridos ou mortos.

Devido a situação depedrada em que ficou o presídio, todos os apenados foram transferidos para o outro presídio, existente na cidade, o João Bosco Carneiro. Presídio modelo na Paraíba.



Por Júnior Campos
Postar um comentário