quarta-feira, 25 de maio de 2011

Morte de homem misteriosa em Serra da Raiz-PB é elucidada

Vamos ao caso.

Por volta das 20h30 do último Sábado (21), na Serra da Raiz-PB, o marchante Severino Soares da Silva “Seu Biu”, 53 anos, residente na Rua Nova, sofreu uma perfuração provocada por uma faca peixeira sendo socorrido para o Hospital Regional em Guarabira, porém o marchante não resistiu ao ferimento e veio a óbito.

Informações prestadas pela Polícia dão conta de que a vítima, se envolveu numa briga com seu genro, Sebastião Pereira da Silva, “Bau”, com quem nunca teve bom relacionamento e durante o atrito sofreu uma queda e a faca que estava em sua mão teria causado a perfuração na região do abdômen, sendo assim conforme a PM, a morte teria sido acidental.

No entanto a família de Severino alegou que durante o desentendimento familiar que aconteceu em um beco próximo a residência do marchante, mais duas pessoas teriam se envolvido e que a morte não seria resultado de um acidente, mas sim de um homicídio.

O mistério que ficou no ar está na versão que a Polícia apresentou, pois se os policiais não presenciaram o fato, de quem seria a versão de acidente?

Desvendando o caso.

A partir destas informações, a imprensa pressionou a polícia Civil que, por determinação do superintendente regional, Dr. Norival Portela, iniciaram uma investigação na manhã desta segunda-feira (23).

Após investigações, cinco pessoas foram levadas para serem ouvidas na 3ª Delegacia Regional em Guarabira-PB e, com isso, a elucidação do caso.

João Batista Pereira da Silva, 21 anos de idade, irmão de “Baú”, confessou ter desferido o golpe de faca peixeira que levou a óbito o Marchante.

O acusado disse que perfurou o “seu Biu” para que seu irmão não morresse. De acordo com os depoimentos, Seu Biu e Baú travavam uma lutar corporal e a vítima estaria com uma em punho. Enquanto isso Baú se livrava dos golpes com uma carroça de mal. “Vi que meu irmão ia ser morto, por isso o esfaqueei. Declarou João Batista a polícia.

João Batista Pereira da Silva foi preso, mas solto em seguida. O acusado vai responder em liberdade pelo homicídio, até o seu julgamento.


Por Júnior Campos com informações de Tony Sousa e Feliciano Silva
Postar um comentário