sexta-feira, 5 de outubro de 2012

RIACHÃO-PB. Prefeito fala sobre atraso no pagamento dos funcionários referente ao mês de setembro

O débito imediato de uma dívida com o INSS causou um prejuízo de 93 mil reais, dos 131 mil reais, que entrou nos cofres públicos do município no dia 10 de setembro. Foi o que revelou em entrevista o prefeito do município de Riachão, Erinaldo Moura do Nascimento (Naldo - PSB). Dessa forma o pagamento dos funcionários públicos do município referente ao mês de setembro foi não foi pago.

De acordo com o prefeito, no dia 10 de setembro, entrou na conta da prefeitura o débito líquido de 131 mil reais, desses recursos, 76.815 reais tinha sido autorizado pelo ex-prefeito interino e foi descontado diretamente para o INSS e 12.383 reais o INSS colocou de juros em cima desse desconto e mais 5. 037 reais que é o débito da parcela do mesmo. Do FPM restaram 19 mil, e deste a Energisa fez seu débito automático em conta no valor de 10 mil reais, ficando apenas 9 mil. Ainda foi autorizado ao Banco do Brasil descontar empréstimo do conseguindo dos funcionários que não haviam sido pagos no mês anterior. O desconto foi de 9 mil no FPM, 20 mil do Fundeb e 9 mil do SUS,  e o que restou desse dinheiro foi apenas 491 reais.

No dia 20, a prefeitura recebeu 22.979,99, dinheiro que seria para a realização do pagamento dos vereadores, mas segundo o prefeito em virtude da folha de pagamento, não havia condições de fazer o repasse para pagar aos vereadores, pois o repasse da Câmara Municipal é de 38 mil reais, e só havia 22 mil reais.

Segundo o prefeito os recursos que entraram no dia 20/09 foram usados para atender a necessidade da população no que diz respeito ao abastecimento de água principalmente na zona rural onde é mais necessitado e apesar de o Exército fazer abastecimento em algumas áreas da zona rural mesmo assim não é o suficiente, isso porque onde tem água encanada não é feito o abastecimento. “Eu não ia deixar a população das zonas rurais morrerem de sede, eu tinha que pagar aos fornecedores de abastecimento de água para que retornassem o abastecimento, até por que onde tem água encanada, o exército não coloca água, e dentro da área urbana a água encanada não está chegando, e nos prédios públicos, tais como a creche da Quixaba e o PETI também estavam sem água e era necessário mandar um carro pipa e este é caríssimo e claro que não iria deixar de socorrer o povo que estão com sede nas áreas rurais, e nos prédios públicos na área urbana para repassar pra aos vereadores. Já não tinha dinheiro e para fazer uma escolha entre os vereadores que pode esperar um pouco e o povo de Riachão, eu preferi fazer a escolha pelo povo de Riachão”.

Naldo deixou claro que a prefeitura dispõe de recursos para realizar o pagamento da folha da educação como também da folha da saúde, porem os demais funcionários, ficariam sem receber e para não haver constrangimento o prefeito decidiu deixar para fazer o pagamento de todos no dia 10 de outubro. “Como eu trato o povo de Riachão de forma igual e sendo eu funcionário público acredito que todos os funcionários públicos merecem tratamento digno e igual. Portanto para não fazer o pagamento em partes, peço a paciência e a calma do povo de Riachão para que no dia 10 quando entra os recursos, sejam realizados os pagamentos por completo. Não é má vontade, Riachão me conhece, é a falta de recursos que por causa de um débito de 93 mil reais foi imputado no dia 10. Também peço a paciência e calma dos vereadores e que eles se sensibilizem com a situação que estamos vivenciando no momento, até porque os débitos não foram nossos, mas de outra gestão.”

Uma das preocupações do prefeito Naldo é de levantar a autoestima da credibilidade financeira do município e trabalhar para servir bem a população de Riachão, sem enganação, e com dignidade. “Não tenho dificuldades em servir a qualquer filho de Riachão, sem cor partidária (...), essa prefeitura e esses recursos são do povo de Riachão e dentro da medida do possível faço a prioridade ao povo deste município.”

Naldo revelou que também não recebeu seu salário de prefeito. “Meu salário está da mesma forma que está todos os funcionários, não pago o meu se não pagar aos funcionários, só recebo o meu quando todos receberem, e todos podem acompanhar pela internet.”

Com José Roberto  / Diário do Riachão
Postar um comentário