quarta-feira, 24 de outubro de 2012

DONA INÊS-PB. Agricultor que atirou contra a cunhada pode ter estuprado sua sobrinha. Denuncia a vítima dos disparos


A mulher que sofreu uma tentativa de homicídio na tarde da última terça-feira (23) na localidade de Oiticica, zona rural de Dona Inês, denunciou nesta quarta-feira (24), que o acusado do disparo que a alvejou na barriga, Luiz do Carmo de Oliveira, de 34 anos de idade, estava abusando sexualmente de sua sobrinha que, é filha da vítima. A revelação partiu da própria criança.

A mãe contou que a filha revelou o que estava acontecendo após tomar conhecimento que seu tio estava preso. A menina de apenas 11 anos de idade teria confessado para a mãe e o pai que por vezes foi abusada sexualmente pelo próprio tio. A criança teria dito que Luiz do Carmo, mais conhecido como Branco, a beijava violentamente enquanto pegava nas partes íntimas da vítima. Disse ainda que só não contou antes porque seu tio ameaçava de morte o próprio irmão que, é o pai da criança, e a mãe que, foi a vítima do disparo de arma de fogo.

 A mãe da criança disse a nossa reportagem que desconfiava do comportamento da filha. Disse que por vezes encontrou peças de roupas de sua filha rasgadas e quando perguntava o que teria acontecido, a criança dizia que ela mesma tinha rasgado as vestes acidentalmente; outras vezes a criança jogava as vestes sujas no mato para esconder da sua mãe. Só com a revelação é que a criança contou que as roupas eram rasgadas pelo acusado que, violentamente, as rasgavas para passar as mãos em sua vagina.

A mãe da menor de idade contou que por vezes flagrou peças íntimas como, calcinhas da criança e dela mesma, na bolsa do acusado, mas não acreditava que o seu cunhado fosse capaz de fazer alguma coisa contra uma das duas, e principalmente contr a a  própria sobrinha.

A agricultora lembrou emocionada que no dia das crianças deste ano, foi realizada a primeira comunhão da criança e que naquele dia ela estava linda, mas fazia questão de dizer que tinha um desgosto. “Minha filha estava linda, mas me dizia: Mãe eu estou com desgosto. E eu dizia diga do que minha filha, mas ela só chorava.” Contou em prantos de choro a mãe.

O caso já foi apresentado ao conselho tutelar da Cidade que já solicitou da Polícia Civil o requerimento para o exame de conjunção carnal para a constatação, ou não, da denúncia. O resultado deve sair nos próximos dias. 

O acusado já se encontra preso na cadeia pública de Belém-PB pelo crime de tentativa de homicídio.  

Por Júnior  Campos
Postar um comentário