quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Em Tacima-PB. Homem usa cartão do bolsa família para adquirir uma moto

O Programa Bolsa Família (PBF) é um programa de transferência direta de renda com condicionalidades, instituído pelo Governo Federal em outubro de 2003, por meio da Medida Provisória nº 132.
O Bolsa Família integra o Programa FOME ZERO, que visa assegurar o direito humano à alimentação adequada, promovendo a segurança alimentar e nutricional e contribuindo para a erradicação da extrema pobreza e para a conquista da cidadania pela parcela da população mais vulnerável à fome.
O programa tem como público alvo: Famílias em situação de extrema pobreza, ou seja, com renda per capita mensal de até R$ 70,00, tendo elas filhos ou não; Famílias com renda per capita mensal entre R$ 70,01 e R$ 140,00, consideradas pobres, que apresentem em sua composição gestantes e crianças e adolescentes com idade entre 0 e 15 anos; Famílias com renda per capita mensal entre R$ 00,00 a R$ 140,00, que apresentem em sua composição adolescentes de 16 e 17 anos.
Diante de tais informações o que nos deixa estarrecido é saber que muitos beneficiados, acabam usando o benefício para favorecer o mundo do crime, a exemplo da semana passada, quando a polícia apreendeu na casa de traficantes na cidade de Solânea, quatro cartões do bolsa família, um do bolsa escola e outro do projovem, usados como pagamento às drogas.
Esta semana outro caso chamou a tenção. Francisco Ribeiro da Silva, residente na localidade de bilimguim, zona rural de Tacima, foi procurado por um representante do ministério  público para dar conta do seu cartão do Bolsa família, haviam informações de que o homem teria negociado o cartão do benefício.
Na casa do homem que, é pai de três filhos,  a denuncia foi confirmada a nossa reportagem. “Eu troquei o cartão em uma moto com ele no valor de R$ 500.00.” Confessou.
A moto não foi localizada, de acordo com o homem, ele negociou o veículo.
De acordo com o homem, esta foi a única vez que ele negociou o cartão, mas, informações dão conta de que há algum tempo ele teria empenhorado o mesmo cartão por 300 reais.
Ao tomar conhecimento do caso, o ministério público foi até a residência do homem onde o cartão estava retido, nas proximidades do braga/Tacima, e pegou o cartão para entregar a promotoria de justiça da comarca de Araruna que cuidará do caso.

Por Júnior Campos
Postar um comentário