quarta-feira, 20 de junho de 2012

TACIMA-PB. Menina de 14 anos diz que foi molestada aos 12 anos por um membro da igreja da qual participa

“Eu estava passando em frente a igreja quando ele me chamou. Disse que queria me mostrar algo. Achei que fosse algo ligado à igreja. Aí eu dei uma volta e entrei no templo pela parte de trás. Foi naquele dia que ele começou a dizer que eu estava crescida e tinha me transformado numa mulher muito bonita e que meu corpo chamava atenção de todos . Depois ele passou a me beijar e me acariciar. Foi quando eu saí correndo e acompanhei  minha amiga que estava me esperando.” Esse é parte do relato da menor de idade que confessou, na última semana, ter sofrido abuso sexual quando tinha apenas 12 anos de idade. 
Quem conta os detalhes é a mãe da menor com quem nossa reportagem conversou. 

A revelação aconteceu na noite da segunda-feira (11 de Junho). A mãe da vítima disse que após voltar da igreja, onde contou com detalhes o que teria acontecido ao seu pastor, a menor disse que precisava contar algo para sua mãe. A vítima narrou passa a passo como tudo ocorreu.

Depois do episódio ocorrido na igreja, dos beijos e carícias, a menor contou que sua mãe teria saído para realizar exames em outro município quando o acusado chegou em sua casa e lhe pediu um DVD emprestado. “Ele entrou e ficou procurando o DVD, aí eu voltei para o quarto onde estava estudando para uma prova. De repente ele entrou no quarto e passou a me agarrar e me beijar. Pedi para ele parar com aquilo, mas ele insistiu. Depois ele tirou minha roupa e iniciou a penetração. Disse que estava doendo, aí ele parou e passou a se masturbar. Foi nessa hora que ele percebeu que alguém estava chegando, aí correu e sentou no sofá.” Contou a menor à sua mãe.

A pessoa que estava chegando era uma amiga da família que, em depoimento ao Conselho Tutelar do município, afirmou ter encontrado o acusado sentado no sofá naquele dia. 

Depois desse ocorrido, o acusado teria pedido para que a menor nunca revelasse o ato para ninguém, alegando ele, que isso iria prejudicar a vida dos dois.

A menor conviveu com isso, sem relatar para ninguém, até pouco tempo. Segundo uma informação, que não partiu da família, a participação em um grupo na igreja onde a menor frequenta, onde só meninas virgens poderiam participar, teria forçado a vítima a relatar o abuso sexual sofrido.  

O acusado não está mais residindo no município, mas após ser convocado pelo Conselho Tutelar que, acompanha o caso, esteve na última sexta-feira (15), prestando depoimento. De acordo com o conselheiro Nando, o acusado negou toda a denúncia, negando inclusive, ter ido à casa da vítima no dia citado. 

O caso agora segue para a justiça que deve apurar a denúncia.

Devido o caso ainda está em investigação, preservamos aqui, os nomes dos envolvidos.

 Por Júnior Campos
Postar um comentário