sexta-feira, 18 de maio de 2012

CASO CARLINHOS - “A vítima foi assassinada.” Revela delegado de polícia.

O delegado de polícia civil, Dr. Luiz Antônio que, responde pelo município de Cerro Corá-RN, declarou que está descartada a possibilidade de Carlinhos ter sido vítima de um disparo de arma de fogo acidental.

O exame cadavérico apontou dois disparos de arma de fogo na cabeça da vítima. “Um disparo foi efetuado pelas costas da vítima.” Afirmou o delegado.

O delegado contou que já ouviu os dois amigos de Carlinhos, também de Dona Inês, que o acompanhava na caçada. “Os dois companheiros de caça foram ouvidos e está, pela minha experiência, descartada a possibilidade de envolvimento no crime.” Afirmou Dr. Luiz Antônio.

Ainda de acordo com o delegado, outras pessoas também foram ouvidas, mas não há nenhum indício de envolvimento no homicídio. “Estamos na estaca zero. Várias pessoas foram ouvidas, porém, nenhuma delas tem envolvimento no assassinato.” Revelou.

Carlos Alberto da Silva, 51 anos, natural e residente em Dona Inês-PB, foi encontrado morto nas proximidades do açude pinga, zona rural de Cerró Corá, município distante 180 km da capital Natal, no final da tarde da última quarta-feira (16).

Carlinhos saiu na segunda-feira (14), acompanhado de mais dois amigos para o município de Cerro Corá. O trio tinha como objetivo pescar e caçar na zona rural do município. O grupo se separou no final da manhã da quarta. Carlinhos não teria retornado para o almoço, o que despertou a preocupação dos amigos.  Buscas foram iniciadas e só no final da tarde é que Carlinhos foi localizado. O donainesense estava caído, já sem vida, com um ferimento à bala no rosto. 

A polícia local foi acionada e o corpo removido para o ITEP, onde passou pelo exame cadavérico. Dois projetes de arma de fogo foram encontrados na cabeça da vítima. O seu sepultamento ocorreu nesta sexta-feira (18).

Por  Júnior Campos
Postar um comentário