sexta-feira, 21 de outubro de 2011

RN - Robinson Faria deixa o governo de Rosalba Ciarline

Há quem diga  que isso já era esperado. Há um bom tempo que  o vice-governador,  Robinson Faria,  já  não comungava dos  mesmos pensamentos da governadora Rosalba Ciarline.

Pois bem, assim  sendo, na tarde desta sexta-feira,  no dia  em que os filhos gêmeos  do  pessedista,  completavam ano, o  homem resolveu  anunciar,  em coletiva, a saída do governo de Rosalba.

O vice-governador iniciou a coletiva fazendo um balanço das atividades desenvolvidas pelas instituições que estiveram sob a sua liderança CAERN e Idema

O vice-governador Robinson Faria afirmou que “percebeu” algo estranho logo no início do Governo Rosalba Ciarlini. Ele disse que não entendia o porquê da governadora viajar a Brasília para discutir assuntos da secretaria que presidia, a Recursos Hídricos, mas não era convidado para integrar a comitiva.

“Eu achava aquilo estranho. Sou observador e percebia porque ela foi a Brasília por três ou quatro vezes discutir assuntos da minha Secretaria, mas não me convidava. Eu fui o único secretário que entreguei um plano para quatro anos da gestão", lembrou

Afirmou ainda que a vitória de Rosalba Ciarlini no primeiro turno em 2010 ocorreu devido a interferência direta do seu grupo político.

E o marido da governadora Carlos Augusto Rosado confirmou isso. Após a eleição ele foi na minha casa, bebendo um vinho, disse que sabia que a mulher dele só era governadora graças ao grupo de Robinson Faria”, destacou.

Revelou ainda que todos os assuntos políticos do Governo são tratados pelo marido dela, o ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado.

“Eu ia despachar com a governadora e ela dizia que a parte política eu conversasse com o marido dela (Carlos Augusto Rosado). Tentava falar com o marido dela, mas eu passava três meses e não conseguia falar com ele”, comentou Robinson Faria

O vice-governador Robinson Faria afirmou que o Governo Rosalba Ciarlini “patrulhava” o PSD.

“Quem dizia que iria para o PSD era chamado pela governadora ou pelos secretários dela e ofereciam até partido adversário, mas diziam que não poderiam ir para o PSD”, disse o vice-governador, que anuncia o rompimento com a gestão.

Disse que o sentimento que tem hoje é de que usado pelo Governo e hoje “descartado”. “Se fosse sintetizar um sentimento que está na minha alma eu fui usado e descartado”, ressaltou.

O vice-governador afirmou que de ontem  (20) para hoje(21) não dormiu por toda a crise e humilhação a que foi submetido pela governadora e pelo marido dela Carlos Augusto Rosado.

Por Júnior Campos
Com Ana Ruth Dantas/Panorama político
Postar um comentário