terça-feira, 11 de junho de 2013

8º BPM-RN. Policiais e comunidade concluem Curso Nacional de Promotor de Polícia Comunitária

26 pessoas, entre policiais, lideranças comunitárias e representantes de instituições, concluíram na última sexta-feira (07) o curso Nacional de Promotor de Polícia Comunitária.

Para o instrutor do curso, Ivan, o objetivo é unir esforços para o combate a criminalidade. A ideia é que todos os policiais que participaram do curso tenham a consciência de um policiamento mais interativo e de ações em conjunto com a comunidade; certos de que os problemas atingem, principalmente toda a comunidade.

Para o Major o curso foi de estrema importância porque preparou o policia e os representantes da comunidade para estreitar mais ainda a relação, fazendo com que seja proporcionada uma melhor segurança para todos.

O Sargento Pedro entende que o curso mudou seu olhar com relação ao fazer segurança pública. “A partir de agora terei uma nova visão. Será aplicada uma nova filosofia onde o trabalho da polícia será direto com a comunidade que, unidas desenvolverão um trabalho melhor.” Comentou o Militar.

O curso objetiva capacitar os profissionais da área de segurança pública para o exercício da atividade orientada pela filosofia e estratégia organizacional de polícia comunitária. As instruções abrangem os conteúdos de Relações Interpessoais, Formas de Intervenção, Mediação de Conflitos, Polícia Comunitária e Sociedade, Direitos Humanos, Gestão Pela Qualidade na Segurança Pública, Mobilização Social e Estruturação de Conselhos Comunitários.

A filosofia de Polícia comunitária é uma estratégia organizacional que proporciona uma parceria entre a população e a polícia, baseada na premissa de que tanto a polícia quanto a comunidade devem trabalhar juntas para identificar, priorizar e resolver problemas de segurança. O policiamento comunitário baseia-se na crença de que os problemas sociais terão soluções cada vez mais efetivas, na medida em que haja a participação de todos na sua identificação, análise e discussão.

Por Júnior Campos
Postar um comentário