sexta-feira, 3 de maio de 2013

ARARUNA-PB. Profissionais da educação voltam a se reunir com vereadores para debater a implantação do piso salarial

Os profissionais de educação da rede municipal de ensino de Araruna voltaram à Câmara Municipal do município para debaterem com os vereadores a falta de reajuste salarial com a implantação do piso salarial. A categoria solicitou ajuda dos representantes do parlamento mirim para que haja uma obediência por parte do poder executivo do município, no tocante a implantação do piso salarial da classe profissional.

A professora Rita, representante da categoria no município lamentou a ausência de alguns professores que temendo retaliações, não compareceram á casa. Acrescentou ainda que lamenta ameaças que foram divulgadas em veículos de comunicação. Encerrou sua fala dizendo que a luta não é política, mas que tem o único objetivo de lutar por aquilo que é de direito da classe. 

A professora Penha Viana, presidente do Sindicato da categoria, esteve na reunião e em seu discurso disse que em pleno século XXI não é permitido que os professores tenham medo de retaliação. Lutar pelos direitos deve ser uma postura de todos. Ressaltou que o que acontece em Araruna, acontece em muitos municípios, onde o problema está no número exagerado de contratos e por isso, os gestores acabam tendo dificuldades para implantar o reajuste salarial aos concursados. A professora destacou por último que fica muito triste por ver uma classe que eleva todos os profissionais sejam tão desprezados no município.

De acordo com as informações que foram repassadas aos professores, o reajuste salarial ainda não teria sido implantado porque o município não dispõe de recursos suficientes para o repasse.

O vereador Jeferson sugeriu que o secretário de educação do município fosse convidado a casa para prestar esclarecimentos e tirar dúvidas da categoria.

A professora Rita informou que no próximo dia 14 haverá uma assembleia, provavelmente na Câmara Municipal, aonde deve contar com as presenças de professores, pais e alunos. O objetivo será discutir a problemática com toda a comunidade escolar. “Vamos nos reunir e se preciso sair pelas ruas num ato de manifesto.” Pontuou a professora.

 
Postar um comentário