terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Uma breve análise da política de Dona Inês-PB

Ao analisar o resultado das eleições da Câmara Municipal de Dona Inês, é preciso que tenhamos um pensamento futurista. Eleito com o apoio dos socialistas, o vereador peemedebista, Herminho, teve cinco dos noves votos da casa. Supostamente o próprio voto, acompanhado dos votos de Demétrio Ferreira (PSB), Dema Henrique (PSB), Napoleão (PSDB) e do outro peemedebista, Damásio Berto. Votação eclética eu diria.

Neco de Lolô (PMDB) que representou a chapa da oposição, recebeu os votos do companheiro de partido, João de Deus, da socialista Uliana Lúcio e da Tucana, Ver. Lêda que, por dois anos presidiu a casa.

Vendo como será formada a mesa diretora para o Biênio 2011/2012, alguns questionamentos precisam ser discutidos, a começar pelo comportamento do presidente da casa legislativa, Herminho. Sua postura será de um legítimo aliado do Prefeito Antônio Justino, deixando de lado sua longa história ao lado maior líder peemdebista no município, Luiz José, ou terá um comportamento maleável, como sempre fez.

Quanto ao outro peemedebista Damásio Berto, que ao se sentir traído, apoiou a candidatura do companheiro de partido, seu nome será desgastado ao longo dos próximos anos, o grupo peemedebista investirá contra sua reeleição, (se é que vai haver), o que pode acontecer com o jovem vereador?

Ainda temos Napoleão, que por duas vezes tentou chegar à presidência da câmara, mas, foi barrado por estratégias dos aliados. O tucano vestirá a camisa do socialista e buscará a continuidade de Justino no governo do município, ou por ser inconstante nada pode ser esperado?

A ida de Uliana Lúcio para o PSB em 2008 teria se dado em virtude de acordos que, segundo os bastidores não foram cumpridos, o que teria provocado a volta para o grupo peemedebista. Como será sua conduta neste biênio?

Toda esta reflexão é para entender como está o quadro político do nosso município. Se as Eleições fossem hoje, olhando pro cenário em que a Câmara se encontra, o Prefeito contaria com a maioria na Câmara, mas, daqui a dois anos como vai está? Quem vai está com alguém? Vamos acompanhar.
Postar um comentário